Notícias

Culinária para baixinhos: aulas na cozinha ajudam no aprendizado de inglês

“What are we going to cook today?” E assim começam as aulas de culinária na Escola Pedro Apóstolo. Muito mais do que aprender a cozinhar, elas têm o objetivo de auxiliar no ensino do inglês. Há quatro anos a escola instituiu essa aula como parte da grade curricular do bilíngue por acreditar no que a neurociência cognitiva já provou: relacionar palavras a ações e ativar o tato e a visão são fatores impulsionadores da memória.

 

“Notamos que as aulas de culinária trazem um novo incentivo para o aluno. Além dele ter horários em que aprende o tradicional, como gramática, ele também pratica a conversação de uma forma bastante autêntica”, comenta a diretora pedagógica da Escola, Ana Cláudia Simões.

 

As aulas de culinária funcionam da seguinte forma: a cada quinzena um tema é escolhido pela professora. Esse tema será trabalhado de diversas formas – aprendizado sobre a cultura, sabores, cores, etc - e mais tarde, no dia específico da aula prática, com as mãos na massa (literalmente).

 

“Recentemente trabalhamos a Argentina em sala de aula. Falamos sobre a geografia do País, cultura, costumes e, claro, a gastronomia. Depois foi hora de provar um pouco da culinária e fazer empanadas argentinas”, comenta a professora de inglês Alessa Dacól Karam.

 

João Scalzo, o professor de gastronomia da Escola Pedro Apóstolo, aposta na aula de gastronomia como um grande diferencial até mesmo para despertar outras aptidões nas crianças. “Durante as aulas elas aprendem desde o cultivo e colheita de temperos e alimentos em nossa horta, até como fazer algumas receitas. É muito bacana ver o interesse aumentando e o inglês surgindo naturalmente nas práticas do dia a dia”.

 

Após a refeição é hora de provar. Os alunos, que têm a aula de culinária pela manhã, lancham no período da tarde o que prepararam.

 

Os pais dos alunos aprovaram a iniciativa da Escola. “As aulas do bilíngue são muito criativas e divertidas, o que facilita muito na aprendizagem das crianças. Meu filho adora as aulas”, comenta Fernanda Liska, mãe do Leonardo, de 08 anos.

Voltar